menu
Topo
Deu Match!?

Deu Match!?

Categorias

Histórico

Que nude foi esse?! Ousadia dos portugueses incomoda brasileiras no Tinder

Universa

2022-01-20T18:04:00

22/01/2018 04h00

As brasileiras costumam encontrar uma recepção mais calorosa dos portugueses nos apps, mas se queixam da falta de atitude na hora do date (Foto: Getty Images)

O aplicativo de encontros Tinder está em alta em Portugal, especialmente entre os jovens. São feitos 200 milhões de "swipes" por dia no país, que nada mais é do que deslizar o dedo para mostrar interesse em alguém. O CEO do Tinder, Sean Rad, disse , no ano passado, que "Portugal é um dos mercados mais importantes para o Tinder".

Jovens estudantes brasileiras que vivem no país confirmam a audiência elevada e relatam um número muito maior de conexões e superlikes do que no Brasil, mas também reclamam da ousadia dos portugueses na paquera.

Veja também

A brasileira Ester dos Santos Guimarães, 23, que está estudando em Coimbra (Foto: Arquivo Pessoal)

"Sempre começam discretos, mas duas palavras fazem o ritmo mudar: intercâmbio e brasileira", conta Ester dos Santos Guimarães, 23, que veio da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, para um período na Universidade de Coimbra. "Aí eles entendem como pessoa para transar e dar tchau".

As justificativas, segundo aluna de Letras, estão quase sempre relacionadas a estereótipos. "Que as brasileiras tratam melhor um homem português. Que elas transam melhor. Creio que em torno das brasileiras há uma mística sexual", avalia Guimarães.

Para a carioca Marinara Freitas Carvalhosa Taveira, 20, "não é com todos", mas reconhece que "muitos ficam mais desinibidos depois desta informação".

"Uns continuam agindo normalmente, outros já começam a sugerir coisas como 'Hoje es frio. Vem dormir aqui que eu te esquento"', diz.

A carioca Marinara acredita que alguns portugueses têm comportamento infantil (Foto: Arquivo Pessoal)

A técnica em biotecnologia enxerga mais problema na falta de maturidade dos portugueses.

"Eles costumam ser infantis. Conversando, um cara de 20 e poucos anos parece ter 15", conta Taveira, que está de malas prontas para Berlim, onde fará curso na área de saúde. "Não é por causa do Tinder", garante.

O famoso café

Se você pretende paquerar em Portugal e não caiu na agressividade destinada à mulher brasileira, acostume-se a ser convidada para um café.

"Ou 'um chá' ou 'um copo'. Eles já vão logo querendo te encontrar", afirma Juliana Alcantara, 32, outra carioca e mestranda de Comunicação em Coimbra.

É a maneira habitual que os portugueses têm de conhecer melhor alguém. Um encontro, ao contrário do que acontece no Brasil, é principalmente para conversar e pode não acontecer nada além disso.

Este é o tom da conversa que muitas brasileiras relatam escutar de portugueses (Foto: Reprodução)

"Eu tenho amigas que já saíram para tomar esse café umas cinco vezes e o cara nunca chegou", conta Hélen Dantas, 27, do mestrado de administração Público Privada.

Natural do Rio Grande do Norte, a estudante discorda das críticas que identificam agressividade com brasileiras na paquera lusa.

"Comigo não aconteceu. Percebo-os mais formais e talvez o termo correto seja mesmo educados. Eles respeitam muito a mulher e só chegam quando está muito na cara que ela está interessada. Nas baladas eles também demoram mais a chegar e perceber que estamos interessadas. Já deixei de ficar com alguns caras porque eles não chegaram, mesmo eu dando indícios de que eram correspondidos", defende Dantas.

Nudes

Outra característica do flerte no território português é o nudismo. Prepare-se para as fotos, principalmente se a conversa migrar para outros aplicativos como WhatsApp, Facebook ou Snapchat.

"São muito relaxados com o corpo. Tem um que me manda nudes o dia inteiro. É 'bom linda' e pá, nudes! É 'como estas?' e pá, nudes!", descreve Juliana Alcantara.

Ester dos Santos concorda que os portugueses "não têm muita noção" quando se trata de envio de fotos com o corpo nu.

"Fazem muito isso. Mandam foto aleatoriamente. E pedem muita foto também. Para nude presume pelo menos assunto. Se a conversa tiver um teor mais sexual e tal. Se houver liberdade para isso. Mas é do nada mesmo", explica.

Tinder científico

O Tinder anda tão popular em Portugal que já foi alvo de um estudo. O artigo "A autoapresentação dos portugueses na plataforma de online dating Tinder", conduzido pelos pesquisadores Jorge Vieira e Rita Sepúlveda, foi publicado na Observatório, renomada revista científica da área de comunicação.

"É possível afirmar que as diferentes estratégias de apresentação para o outro demonstram reflexividade por parte dos sujeitos num interessante jogo dialético de expectativas recíprocas", diz trecho da conclusão.

Complicado? A análise identifica os tipos de fotografia e textos utilizados na apresentação, idades, objetivos e até como conversam. Quem sabe as informações podem ajudar em sua próxima paquera…

*Ricardo Ribeiro, colaboração para o UOL, em Portugal

Sobre o blog

Notícias, curiosidades e muitas histórias de quem já se deu bem ou quebrou a cara nos apps de paquera.