menu
Topo
Deu Match!?

Deu Match!?

Categorias

Histórico

Apps de relacionamento fazem pessoas transarem menos, segundo especialista

Deu Match!?

19/12/2018 04h00

Jovens estão transando menos, mesmo utilizando bastante apps (Foto: Pexels)

A oferta de possíveis amores nunca foi tão grande. Hoje, existem dezenas de aplicativos de relacionamento no mercado, alguns com objetivos de relação tão específicos como inusitados. E com um mar de opções tão amplo, é de se pensar que o sexo casual esteja em crescente entre os usuários. Porém, estudos mostram que as coisas não são bem assim (e os apps podem ter seu dedo de culpa nessa questão).

Um estudo realizado pela Universidade Estadual de San Diego, nos EUA, com mais de 27 mil norte-americanos, mostrou que, atualmente, os jovens têm nove vezes menos oportunidades de transar do que há vinte anos. Aqui no Brasil, um reflexo dessa situação pode ser percebido. Em pesquisa recente da Consumoteca Lab, com participação de 1.000 brasileiros entre 18 e 50 anos, foi constatado que as pessoas realmente estão transando menos, e que os apps podem estar por trás disso. De todos os participantes, apenas 7% dizem estar atrás de sexo ao utilizar apps.

Veja também:

Entre os motivos apontados para esta diminuição na busca de relações ágeis está a dissociação entre sexo e intimidade –cenário típico e apps–, que não é exatamente novo, de acordo com o psicanalista Aurélio Gonzales. "Essa dissociação sempre existiu, mas atualmente está mais gritante. Sofremos de um mal chamado narcisismo, onde o que importa é o eu, o meu, e por conta disso a busca por conveniência está cada vez maior, enquanto o vínculo que gera convivência, intimidade, infelizmente está sendo deixado de lado. Os aplicativos têm grande papel nisso", afirma ele.

Colocar intimidade e sexo em esferas diferentes pode ser resultado da maneira que as pessoas utilizam os apps, agora dando preferência ao primeiro aspecto em detrimento do segundo, mesmo levando em consideração a grande oferta de perfis, a vontade (e a possibilidade) de experimentar diversas situações originadas nos aplicativos e as características mais superficiais das relações.

Hoje, é mais comum encontrar quem utilize aplicativos para encontrar um match não seja igual a todos os outros. A bióloga Karina Pereira, de 24 anos, é usuária de Tinder há quatro. Até hoje, ela só teve cinco encontros com caras de apps e nunca rolou sexo. O santo não bateu do jeito que devia, segundo ela.

"Não é porque eu uso apps, e que os encontros ficaram mais fáceis por meio deles, que eu já saio com o objetivo de transar. Eu quero encontrar alguém que mexa comigo, que seja interessante, não só alguém para ser mais um da lista. Acho que ter um pensamento assim pode não ser muito produtivo em apps, mas é como penso", define ela.

E não é só Karina que pensa assim. Encontrar pessoas interessantes parece ser o foco da geração millenial no uso dos apps segundo o estudo da Consumoteca. 46% dos participantes da pesquisa dizem usar app com o objetivo de encontrar pessoas interessantes.

Junta tudo isso com o fato de que as pessoas estão mais seletivas e você tem a receita certa para que o número de transas diminua. Porém, essa seletividade se origina tanto no desejo de encontrar alguém "mais especial" quanto na esperança de que o próximo pretendente seja melhor que o anterior.

"As pessoas estão mais autosuficientes, preocupadas apenas consigo mesmas. Os padrões e requisitos para agradar quem se condicionou a satisfazer-se sozinho são enormes. Se somente eu me sinto suficiente pra mim mesmo, apenas procurarei uma outra pessoa em momentos bem específicos", finaliza o psicanalista.

E você? Sua vida sexual anda mais agitada enquanto usuário de apps?

Sobre o blog

Notícias, curiosidades e muitas histórias de quem já se deu bem ou quebrou a cara nos apps de paquera.